Limiares da cartografia: uma leitura semiótica de mapeamentos alternativos

Minha tese de doutorado foi publicada em formato de e-book pelo Selo do PPGCOM/UFMG.

Fico muito feliz com essa publicação, que consolida um trabalho de pesquisa desenvolvido entre os anos de 2015 e 2018 na PUC-SP, no programa de Comunicação e Semiótica.

Agradeço aos amigos e familiares que apoiaram este trabalho. Dedico um especial agradecimento à profa. Lucia Santaella pela orientação da pesquisa e pela gentileza da elaboração do prefácio do livro. Agradeço também aos colegas da UFMG e do Selo PPGCOM pelo acolhimento e pela oportunidade de divulgação deste trabalho.

O livro está disponível para download gratuito.

Segue abaixo uma breve descrição:

Limiares da cartografia: uma leitura semiótica de mapeamentos alternativos

O livro trata de propriedades comunicacionais e semióticas dos mapas, abordando práticas alternativas de mapeamento que incentivam outras maneiras de perceber o espaço. Para isso, o autor seleciona quatro tendências que exploram os limites da linguagem cartográfica: a map art, as mídias locativas, a cartografia literária e o mapeamento profundo. O livro provoca reflexões sobre nossa relação com os lugares, tendo os mapas como signos mediadores desse processo. Nesse sentido, o livro também trata de processos de mapeamento, ou seja, da criação de mapas capazes de traduzir experiências singulares com o espaço. Para se aprofundar nessas experiências, o autor resgata o pensamento de Walter Benjamin, um filósofo que se interessou pelas experiências limiares. É sobre esses caminhos metodológicos pavimentados por Walter Benjamin que o livro traz uma proposta de mapeamento que possa evidenciar formas alternativas de se pensar as representações dos espaços e dos lugares.

RIBEIRO, Daniel Melo. Limiares da cartografia. uma leitura semiótica de mapeamentos alternativos. Belo Horizonte: FAIFCH Selo PPGCOM UFMG, 2021. Disponível em: <https://seloppgcom.fafich.ufmg.br/novo/publicacao/limiares-da-cartografia/>.

This entry was posted in comunicação, mapa, semiotica, Walter Benjamin. Bookmark the permalink.