Benjamin: Modernidade e Pós-Modernidade

“O que Benjamin realizou com o Trabalho das Passagens – a construção de uma imagem da própria época – coloca-se analogamente como tarefa para seus leitores ‘pós’-modernos. A rigor, seu legado como crítico da cultura e historiógrafo só será resgatado plenamente na medida em que a pesquisa contemporânea souber elaborar, através de sua obra, uma visão tão clara da “pós”-modernidade, como Benjamin a conseguiu, através do estudo da obra de Baudelaire, para a Modernidade dos anos 1920 e 1930. Trata-se de enxergar, através da interpretação dos textos benjaminianos, as forças históricas atuantes dos tempos pós-modernos.”

BOLLE, Willi. Fisiognomia da metrópole moderna: representação da história em Walter Benjamin. 2.ed. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2000. p. 26

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *


Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>