A arqueologia benjaminiana para iluminar o presente midiático

Captura de Tela 2017-06-07 às 21.08.29

Artigo que escrevi junto com a profa. Lucia Santaella sobre a arqueologia em Walter Benjamin. O artigo foi publicado no livro da Compós, edição de 2017.

Aprendi muito ao escrever esse artigo. Sinto-me cada vez mais envolvido com a filosofia de Walter Benjamin. Espero que gostem!

Resumo:

Entende-se a arqueologia como a ciência das ruínas que recupera fragmentos soterrados em busca de novas interpretações da história. A investigação arqueológica pode nos conduzir a uma reconstrução do nosso próprio presente, uma vez que estabelece novas conexões com o passado. Segundo Benjamin, essas conexões surgem como um “lampejo” a partir de uma tensão dialética de caráter temporal. A esse “lampejo”, Benjamin deu o nome de “imagem dialética”. Assim, defendemos a hipótese de que as imagens podem ser instrumentos heurísticos de representação da realidade, evidenciando propriedades anacrônicas da cultura. Dessa maneira, reforçamos que a postura crítica de Benjamin em relação à história gera profundas implicações para os estudos da comunicação.

SANTAELLA, Lucia. RIBEIRO, Daniel Melo. A arqueologia benjaminiana para iluminar o presente midiático. In: MUSSE, Christina Ferraz; SILVA, Herom Vargas; NICOLAU, Marcos Antonio. Comunicação, mídias e temporalidades. Edufba; Brasília, Compós, 2017. ISBN 978-85-232-1592-7.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *


Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>